Renda FIRE – alternativas para a regra dos 4%

A regra de renda passiva mais comum e mais comentada do mundo FIRE é a regra dos 4%. Ela se baseia em retiradas anuais em valor equivalente a 4% do patrimônio.

É importante saber que existem outras regras/estratégias além dessa dos 4%. Vamos a elas, listarei logo abaixo.

* não farei a tradução do nome da regra, apenas do texto explicativo. Irei manter o nome das regras/estratégias em inglês para você se localizar melhor ao utilizar o link da calculadora, que deixarei publicado no fim desse post. Aliás, para a maioria dos métodos a calculadora pede dados básicos (total da carteira, regra de retirada e prazo da vida FIRE), sendo muito fácil de usar. Realmente eu recomendo que utilizem a calculadora após conhecer as estratégias que irei listar em seguida.

  • Estratégias básicas
    • Constant Dollar: estratégia de retirada usada na análise original de Bengen, bem como no “trinity Study”. Você escolhe um valor da sua carteira inicial (como 4% do valor total ou outro percentual), e retira esse valor no primeiro ano. Para cada ano subsequente, você ajusta sua retirada para compensar a inflação, ignorando totalmente como o mercado está se saindo. O nome “Constant Dollar” faz referência ao fato de que o poder de compra de sua retirada anual permanece constante.
    • Percent of Portfolio: seu limite de retirada é um percentual do valor atual de sua carteira. Essa estratégia é semelhante a estratégia de dólar constante, mas ajusta sua retirada anual com base no desempenho do mercado. Quando o mercado vai mal, você retira menos, aumentando sua chance de sucesso. E quando o mercado está indo bem, você consegue retirar mais. Você também pode definir limites para especificar o valor mínimo ou máximo que gostaria de retirar a cada ano. Esses limites são ajustados pela inflação, de modo que o poder de compra dos limites permanece constante durante sua aposentadoria.
    • 1/N: a estratégia de retirada 1/N determina cada retirada anual dividindo o valor atual da carteira pelo número de anos restantes da duração estimada da aposentadoria. Por exemplo, se faltam 30 anos para a sua aposentadoria, o valor da retirada será 1/30 do valor atual da carteira. Posteriormente, quando faltarem 2 anos, o valor do saque será 1/2 do valor atual da carteira. Um dos benefícios do método 1/N é que ele garante que você maximize suas retiradas durante a aposentadoria. No entanto, acarreta um risco extra porque você deve decidir sobre uma duração específica de aposentadoria, o que não é algo que possamos saber com certeza. Se você viver mais do que o tempo de aposentadoria que especificou, poderá ficar sem nenhum dinheiro nos últimos anos de sua vida. A solução alternativa para isso seria especificar uma duração mais longa de aposentadoria. Tem suas próprias desvantagens: as retiradas nos primeiros anos da aposentadoria tornam-se cada vez menores. Por exemplo, considere uma aposentadoria mais conservadora de 60 anos. A retirada do primeiro ano será de 1/60 do valor da carteira, que provavelmente será menor do que você gostaria. Se a estratégia 1/N lhe agrada, então você pode se interessar pela estratégia “Variable Percentage Withdrawal (VPW)”, ela evita algumas das desvantagens da 1/N.
  • Estratégias com foco na maximização da renda
    • Variable Percentage Withdrawal (VPW): combina os melhores aspectos das estratégias “Constant Dollar”, “Percent of Portfolio” e “1/N” em estratégia única. Algumas características dessa estratégia:
      – nunca esgotará prematuramente sua carteira;
      – garante que seu portfólio chegue a 0 no último ano;
      – a taxa de retirada tende a aumentar com o tempo.
      O método VPW foi criado e desenvolvido por um grupo de pessoas da comunidade Bogleheads.
    • Custom VPW: o padrão do método VPW utiliza um conjunto de parâmetros fixos que são usados ​​para determinar suas taxas anuais de retirada. Esses parâmetros são determinados pelo desempenho histórico de ações e títulos nos Estados Unidos. O criador do VPW, usuário longinvest do Bogleheads, acredita firmemente que esses parâmetros fixos não devem ser alterados. Um membro influente da comunidade Bogleheads, Siamond, discorda que os parâmetros devam ser fixos e, portanto, criou um método chamado de “Custom VPW” que permite definir os parâmetros como desejar. O método Custom VPW (CVPW) do usuário Siamond é fornecido pelo FI Calc para indivíduos que estão familiarizados com o funcionamento interno do VPW e concordam com Siamond que alterar os parâmetros é algo apropriado em certas situações. Se você é novo no VPW, recomendamos o uso da estratégia de retirada padrão do VPW.
    • Dynamic SWR: estratégia de retirada dinâmica que analisa continuamente sua carteira para a aposentadoria. Sua renda de aposentadoria em um determinado ano é determinada pelo saldo restante da sua carteira, a sua expectativa de vida e expectativas do mercado. Conforme sua expectativa de vida diminui, a taxa de “abstinência” aumenta. Por definição, essa estratégia esgotará completamente seu portfólio no ano final.
  • Estratégias com foco na longevidade da carteira
    • Endowment Strategy: a estratégia é usada pela Universidade de Yale e foi desenvolvida por uma equipe de professores de economia da própria universidade. A equação para determinar as retiradas de um determinado ano é simples:

      Retirada anual = (0,3 * (0,05 * valor da carteira)) + (0,7 * valor retirado no ano anterior), ou seja, 1,5% do patrimônio atual + 70% da última retirada.

      Importante registrar que o “valor retirado no ano anterior” deve ser ajustado pela inflação, ano após ano.

      Algumas características dessa estratégia:
      – responde às condições do mercado, ao contrário da estratégia de “Constant Dollar”;
      – ao responder de maneira suave às condições de mercado, torna pequenas as mudanças ano após em sua retirada, ao contrário da estratégia de “Percent of Portfolio”;
      – probabilidade extremamente baixa de esgotar sua carteira, mesmo com longos períodos de aposentadoria.

      Essa estratégia é projetada para garantir que sua carteira dure por um longo período de tempo. Se seu objetivo é deixar a carteira como um legado para os herdeiros, essa estratégia seria uma boa escolha. Por outro lado, se o seu objetivo é gastar a maior parte da sua carteira durante a vida, você pode considerar outras estratégias.

      Você pode incluir “guardrails”, ou seja, limites mínimos e máximos. A estratégia cita 4% como retirada mínima e 6,5% como retirada máxima, cálculo efetuado em cima do patrimônio atual.
    • Guyton-Klinger: estratégia de retirada que visa maximizar a longevidade da carteira. Você pode pensar nisso como uma estratégia modificada de “Constant Dollar”. O que torna Guyton-Klinger diferente de “Constant Dollar” são as chamadas três “Regras de Decisão”. Essas regras ajustam quanto você retira a cada ano com base no desempenho do mercado e quanto dinheiro permanece em sua carteira. Uma das regras determina se você deve ou não ajustar sua taxa de retirada pela inflação em um determinado ano. As outras duas regras aumentam ou diminuem sua retirada com base na saúde da sua carteira. Por causa dessas regras de decisão, Guyton-Klinger é uma das estratégias de retirada mais complicadas. Se você for novo nisso, encorajamos você a ler sobre cada uma das “Regras de Decisão”.
    • 95% Rule: estratégia de retirada com uma prioridade única, ela visa preservar o valor inicial da sua carteira durante todo o período de sua aposentadoria. Usando a regra de 95%, suas retiradas anuais (que são baseadas em percentagens) garantirão que sua carteira nunca esgotará completamente. Ao contrário da estratégia de “Percent of Portfolio”, ela evita flutuações extremas ano a ano que podem resultar da retirada de um percentual direto do valor atual da carteira. A estratégia faz isso por meio de sua regra homônima: a regra dos 95%. A regra de 95% funciona assim: a cada ano, você pode retirar sua taxa de retirada segura (normalmente em torno de 4%) ou 95% da retirada do ano anterior. O que isso significa é que sua retirada só cairá no máximo 5% em relação ao ano anterior, mesmo que o mercado experimente uma queda repentina e/ou acentuada. Isso pode suavizar períodos de aposentadoria particularmente turbulentos, como a aposentadoria de 30 anos entre 1930 e 1959. Lembre-se de que, embora as flutuações de retirada ano após ano sejam reduzidas com a regra de 95%, ainda pode haver flutuações substanciais nas retiradas ao longo de toda a aposentadoria. Olhando novamente para a simulação de 1930 a 1959: com uma retirada inicial de 4% de $ 40.000, a menor retirada é de $ 20.083,01, enquanto a maior é de $ 62.849,28.
    • CAPE-based: versão modificada da estratégia “Percent of Portfolio”. Ela evita flutuações extremas ano a ano nas taxas de retirada, incorporando o CAPE na retirada anual. O CAPE é um valor que está correlacionado com os ganhos futuros esperados. A equação para o método de retirada baseado em CAPE é a seguinte: (a + b * CAEY) * P
      Onde “a” é a base de retirada de base, “b” é o peso de quanto fatorar no CAPE, CAEY é igual a 1/CAPE e “P” é o valor da carteira do ano atual.
    • Sensible Withdrawals: variação da estratégia “Constant Dollar”. Funciona assim: você escolhe uma taxa de retirada “básica” que é suficiente para cobrir o valor mínimo de gastos que você deve fazer a cada ano, o que inclui pagar sua alimentação, moradia, contas e assim por diante. Não importa o desempenho do mercado, você sempre poderá sacar esse valor base a cada ano. Normalmente, sua taxa básica deve ser menor do que as taxas de retirada de “Constant Dollar”. Por exemplo, se você normalmente retiraria 4% ao usar “Constant Dollar”, então você poderia considerar uma taxa básica de retirada de 3% com “Sensible Withdrawals”. Além desse valor, você especifica uma segunda taxa, a “Taxa de Retirada Extra”. A cada ano, você observa os ganhos da carteira em relação ao ano anterior. Sempre que esses ganhos (contabilizando a inflação) forem positivos, você retira um montante igual à “Taxa de Retirada de Extra” vezes o valor dos ganhos. Esse dinheiro extra pode ser usado para gastos extras: férias, um carro novo, hobbies … o que você quiser. Como a taxa básica de retirada cobre todos os seus gastos essenciais, a renda extra pode ser considerada totalmente disponível. Vejamos um exemplo: considere um ano que começa com uma carteira de $ 1.000.000 depois de ter crescido $ 25.000 em relação ao ano anterior. Se você tiver uma taxa básica de retirada de 3%, poderá retirar $ 30.000. E se você tiver uma taxa de retirada extra de 10%, você adicionaria $ 2.500 à sua retirada, totalizando $ 32.500.
    • Hebeler Autopilot II: o nome da estratégia vem de seu criador, um consultor financeiro chamado Henry K. Hebeler. Hebeler projetou essa estratégia para resolver problemas com duas outras estratégias de retirada comuns:
      – “Constant Dollar”: esta estratégia às vezes faz com que você fique sem dinheiro antes do final previsto de sua aposentadoria.
      – “Required Minimum Distributions (RMD)”: apresenta alta taxa de variabilidade em suas retiradas de ano para ano.

      A fórmula original foi criada em 2013, mas posteriormente revisada em 2015 como “Autopilot II”. A forma como essa estratégia funciona é a seguinte: você combina 75% da retirada do ano anterior com 25% da retirada que faria usando a fórmula PMT. O algoritmo tem qualidades que o colocam no meio dos grupos de estratégia de retirada “com foco na maximização da renda” e “com foco na longevidade da carteira”. Em geral, pode durar muitos anos após a data de aposentadoria projetada e, frequentemente, resultará em uma carteira diferente de zero nos anos finais.
    • Vanguard Dynamic Spending: desenvolvida para ser um híbrido das estratégias “Constant Dollar” e “Percent of Portfolio”. Você começa especificando uma taxa de retirada, como 4%, que determina quanto do valor da carteira atual você pretende retirar a cada ano. Esse cálculo é idêntico ao usado na estratégia “Percent of Portfolio”. O que torna essa estratégia diferente são seus valores de piso e teto. Essas são percentagens que limitam o quanto sua retirada pode ser maior ou menor neste ano em comparação com o ano anterior. Por exemplo, se você especificar seu teto como 5%, você nunca retirará mais do que 5% do que retirou no ano anterior. Da mesma forma, o valor mínimo garante que seus gastos nunca caiam abaixo de uma certa porcentagem do valor do ano anterior. Essa estratégia garante que suas retiradas não sejam muito voláteis de um ano para o outro. No entanto, os valores de retirada ainda podem mudar substancialmente ao longo de toda a sua aposentadoria se um mínimo absoluto ou máximo de retirada não for especificado além dos valores mínimos e máximos.

Vou deixar aqui outras duas regras/estratégias.

A primeira é a que eu mesmo criei para possivelmente utilizá-la futuramente. Ainda não estou 100% fechado nela, posso mudar, adotar alguma outra. Bom, ela se resume no seguinte: no ano que anteceder a vida FIRE, você deve fazer retiradas de 50% da renda recebida dos seus investimentos, colocando-as em alguma aplicação em separado. Após 12 meses, você deve retirar 1/12 do valor aplicado, continuando a aplicar os 50% da renda recebida em cada mês.

PERÍODORENDA RECEBIDA50% EM APLICAÇÃO SEPARADARETIRADA DO MÊS (1/12)
202060.000,0030.000,000
Jan/20215.830,002.915,002.742,92 (32.915,00 / 12)
Fev/20224.900,002.450,002.718,51 (32.915,00 – 2.742,92 + 2.450,00) / 12

Essa estratégia de retirar 1/12 minimiza a volatilidade da renda, principalmente para aqueles que estão com alto posicionamento em ações e/ou expostos a variação cambial.

A segunda estratégia foi criada pelo meu amigo Rodrigo Medeiros, ela é específica para carteiras com alocação em FIIs e REITs. Diferentemente da minha estratégia, essa última passou por backtest. Para saber mais, clique aqui.

Meu amigo Otávio Paranhos também tem um vídeo sobre simulações de retiradas, vale dar uma olhada (link aqui).

E para finalizar, conforme prometido, deixo aqui o link para a calculadora que aplica todos as demais regras/estratégias apresentadas aqui, com exceção dessas duas últimas, que não estão contempladas.

Para acessar a calculadora “FI Calc”, clique aqui.

Espero que tenham gostado, não se esqueçam de se inscrever no canal, clicar no sininho, arrastar pra cima, dar três pulinhos… (rs) hehehe.

7 Respostas para “Renda FIRE – alternativas para a regra dos 4%

  1. Pingback: Preparando-se para ser FIRE: criação de renda passiva | Viver Sem Pressa

  2. Nossa ai complicou muito. Mal entendo a regra dos 4% agora vem com todas essas regras novas cheias de firulas? Não compliquem, simplifiquem

    • Kraucer Fernandes Mazuco

      Jonas, de fato algumas regras são mais complexas, mas nem todas. No final do post tem o link para uma calculadora e lá você poderá entender melhorar cada uma das estratégias. E a escolha da estratégia é algo de suma importância na hora de viver a fase FIRE.

  3. Legal. Mas o que chamam de regra dos 4% é uma tradução mal feita. A regra é Safe Withdrawal Rate. A porcentagem cada um define para aquela que achar segura: pode ser 3%, 3.5%, etc.
    Um abraço – AA40

  4. Um belo resumo das estratégias. Dá uma olhada no blog Early Retirement Now. A bíblia das estratégias de retirada (para o mercado americano) está ali. Inclui estudos sobre a viabilidade de algumas dessas, com resultados surpreendentes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s